RAP COMO DISPOSITIVO: RELATO SOBRE GRUPO DE ADOLESCENTES PRETAS/OS E O FAZER SAÚDE

Samuel Germano do Nascimento Conselheiro, Elaine Cristina Tôrres Oliveira, Marcos Ribeiro Mesquita

Resumo


A reflexão sobre as particularidades que constituem o meio social se faz necessária no exercício da atenção à saúde de populações específicas, como a de adolescentes. Período de mudanças significativas, sobretudo entre pretas/os, a adolescência se configura como um momento para refletir em coletivo as experiências raciais construídas. Nesse sentido, o presente relato tem por objetivo apresentar uma vivência de discussão das questões étnico-raciais junto a um grupo de adolescentes. Para a construção de espaços de discussão, o rap foi escolhido como estratégia de aproximação e como recurso de criatividade (compreensão Winnicottiana). Sua utilização, tornou-se metodologia ideal para a expressão das experiências vividas e possibilitou a observação de marcas de uma sociedade racista e de modelos possíveis de negritude positiva. Percebeu-se o rap como estratégia potente para o fazer saúde, tendo vista o diálogo com as experiências e o acesso menos doloroso aos corpos minimamente silenciados.

Palavras-chave


População Negra; Saúde Integral do Adolescente; Estratégias de Saúde; Rap.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17648/asas.v20i1.2945

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Asas da Palavra está indexada nos diretórios e bases que seguem:

            .  



 

ISSN:1415-7950