O SÍSIFO DA FLORESTA NOS BRAÇOS DO MAPINGUARI: DIÁLOGOS ENTRE EUCLIDES DA CUNHA E FLORENTINA ESTEVES

Luis Fernando Ribeiro ALMEIDA, José Guilherme de Oliveira CASTRO

Resumo


Este artigo tem por objetivo fazer um estudo comparativo entre o texto “Mapinguari”, de Florentina Esteves e “Um clima caluniado”, de Euclides da Cunha, a fim de identificar os possíveis pontos de confluências discursivas. Este estudo está baseado em levantamento bibliográfico, utilizando-se dos postulados da Literatura Comparada e do conceito de dialogismo de Bakhtin. É possível observar a presença da figura do seringueiro nos textos analisados, verificando-se assim, que tanto no texto de Florentina Esteves, quanto no de Euclides da Cunha, embora remotos no tempo, tomam o mesmo espaço como pano de fundo de suas narrativas: a floresta, que se mostra gigantesca, “engolindo” o homem, “carregando-o” nos braços, revelando sua pequenez diante da “prisão celular”


Palavras-chave


Literatura. Dialogismo. Amazônia. Imaginário

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17648/1415-7950-v14n1-981

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Classificação Qualis: C Linguistica e Literatura. 


A Revista Asas da Palavra está indexada nos diretórios e bases que seguem:

            .  



 

ISSN:1415-7950